Esse site tem o objetivo de relatar todo o conhecimento sobre o homem e Deus.Como fazer para crescer espiritualmente,ser uma pessoa melhor, mais sábia. Desde materiais,mensagens e grandes homens que marcaram o mundo com sua luz. Esse site despretensioso tem a finalidade de que possa ser útil para ir em busca do autoconhecimento e despertar da consciência, acordar do sonho físico que nos limita tanto.Despertar do sono para podermos encontrar a alma, o Deus que habita o interior de cada ser.

Arquivo do blog

sexta-feira, 3 de abril de 2009












Coleção de Cartas (Patravali)


Correspondência entre Yogiraj e seus discípulos

Traduzidos do Bengali por

Yoganiketan, Portland Maine, USA © 1999,2000

Traduzido do Espanhol por

Karen de Witt, Rio de Janeiro, Brasil Março/2009


________________________________

Prefacio

Irmãs e Irmãos.

Apenas um breve apontamento sobre estas cartas que publicamos.

Ananda Mohan Lahiri recolheu e publicou estas cartas em Bengali, em 1938 por várias razões. Uma das razões era para preservar as características básicas de Kriya que foram ensinadas por Yogiraj (Maha, Pranayama, etc).

Outra razão muito importante era que às vezes a gente se dá conta de que existe diferenças na prática de Kriya dada pelo respectivo Acharya, diferenças com respeito às práticas indicadas talvez por outro Acharya.

A dúvida surge de forma natural e os praticantes de Kriya se perguntam “Existe algo de errado no Kriy que eu aprendi?” Sri Anananda Mohan reuniu estas cartas para mostrar que Yogiraj Sri Lahiri Mahasaya ensinou Kriya como uma ciência individual – com certas diferenças segundo os estudantes (mas com as mesmas características básicas).

Os diferentes estudantes recebiam conselhos diferentes em momentos diferentes conforme a necessidade de cada um.

A carta número 1 tem um exemplo claro disto (e haverá mais exemplos mais adiante no decorrer do texto).

Discípulo: Bhagavan,

5. Aqueles que praticam o quarto Kriya em Vishnupur (al. Bishnupur), devem levá-lo abaixo e fazer o quarto; eu, como me ensinou Dukori Babu, levo-o acima até Kutastha [entrecenho] e o faço fixo ali. Qual é a forma mais correta?

Sri Guru (Lahiri Mahasaya): Ambas estão corretas.

N.W.

Portland Maine

Sept. 17, 1999

COMENTARIOS DO TRADUTOR: Esta tradução mantém praticamente as palavras em seu sentido literal de Sri Lahiri Mahasaya, pretando um melhor serviço tanto aos buscadores como aos Kriyavans. Por esta razão, não foi feito nenhuma tentativa de que a tradução fosse poética ou interpretativa. Se o leitor perceber uma gramática irregular (incluindo estrutras de frases nada tradicional, pontuação, etc.), deve entender que isto foi intencional. O tradutor procurou, por todos os meios, manter a obra o mais próximo possível da expressão no original em bengali sem contudo torná-la impossível de ler ou compreender.

Pranam,

Equipoe de Yoga Niketan

12 de Novembro de 2001

______________________________________

CARTA No. 1: Om namh sri guruve namah

Discípulo: Bhagavan,

5. Aqueles que praticam o Quarto Kriya em Vishnupur (al. Bishnupur), devem levá-lo abaixo e fazer o quarto; eu, como me ensinou Dukori Babu, levo-o acima até Kutastha [entrecenho] e o faço fixo ali. Qual é a forma mais correta?

Servo dos servos, Sri Kailas Chadnra Bandopadhyay Sonamukhi – 1296/29 Jaishtha (calendário bengali)

Sri Guru (lahiri Mahasaya):

– Ambas estão corretas

Sri Shyamacharan Devasharmanah

CARTA No. 2:

(De Panchanon Bhattcharya a Dukori Lahiri)

Om Sri Gurve Namah

Depois da inclinação –

Dukori Dada (irmão maior Dukori), eu dei o dinheiro da doação pelo Kriya a Paramagudev Babají Mahasaya. Por favor, aceite o meu namaskar. Você fará a sua própria doação pelo Kriya.

CARTA No. 3:

O discípulo se dirige a Sri Guru:

Seguindo as suas instrunções (tal como me indiciou), ao fazer Gurupranam à noite e colocar minha cabeça no trafesseiro sobre a cama, durante aproximadamente meio minuto aparece repentinamente uma lua branca e brilhante.

Eu esto certo de que imediatamente depois a lua, nesta forma branca e brilhante, elevou-se e me deu “darshan” e então já não consegui mais dormir. Não pude ver nada com claridade. Sentei-me na cama e minha mente ficou muito excitada.

Como no movimento da lua, eu podia ver uma forma branca e redonda e uma lua pequena como se estivesse coberta de nuvens, igual a antes.

CARTA No. 4:

Instruções do Guru (Lahiri Mahasaya):

Desde o princípio estou te pedindo que sejas cuidadoso e pratiques Kriya corretamente. São 600 pranayamas [600 kriyas] de e 50 Maha Mudrás.

CARTA No. 5:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya)

Tenho desde ontem uma febre repentina. Gurudev me deu um de seus pacientes enfermos. A vida do paciente não deve ser prorrogada, mas haverá um bom progresso.

CARTA No. 6:

Carta de um discípulo:

Dois dias depois de vir aqui, fiz 1.728 pranayamas [1.728 kriyas], seguindo suas instruções. Comecei às 8 da manhã e terminei às oito da noite. Foi um pouco rápido.

CARTA No. 7

Resposta do Guru

Não vejo nenhum mal em que te cases, ao contrário, creio que isto é bom. Se você quiser, casar-se seria apropriado. Não casar-se pode ocasionar comportamentos aberrantes. Mas se a sua forma de pensar é diferente [em respeito a isto], então não tem porque se casar.

CARTA No. 8

Carta de um discípulo:

Minha língua não se eleva a maior parte das vezes que tento [Kechari Mudrá]. Depois de terminar o Primeiro Kriya, repentinamente ela se eleva e, seguindo suas instrunções, completo 200 Segundos de Kriya. A única coisa que faço é sentar-me em ásana; Tu és o Senhor que tudo faz.

Respuesta del Guru: Bien.

CARTA No. 9:

Carta de um discípulo:

Tenho feito Japa de Chakra em Chakra; recentemente, durante uns dias, estava sentado desde às 2:00h da tarde até às 3:00 ou às 4:00h da noite [madrugada], e me sento pelas manhãs também. Tu és o Divino que Tudo Sabe; Tu Sabes Tudo. Além disso faço 200 prananyamas duas vezes, ou 400, e faço duas vezes 12 ou 24 Maha Mudras também.

Resposta do Guru: Bem.

CARTA No. 10

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Muitos recebem Kriya como uma forma de curar suas doenças. Depois, logo que é produzido um alívio [cura], assim como não, deixam de praticar. Não desejo dar Kriya aos que não tem respeito [reverencia] por ele.

CARTA No. 11:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya)

Reduza a prática de Kriya quando fizer calor. Faz tantos Maha Mudrás quanto puder mesmo com a dor que tem nos joelhos. Não posso dar Kriya a ninguém que não seja apropriado.

CARTA Nº. 12:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya)

Não faça nada. Deus fará tudo. O jiva [corpo] é só uma desculpa; permaneça fixo [como te foi ensinado] nesse Divino Guru; nisto está a benção.

CARTA No. 13:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya)

Aconselho a todo mundo que pratique Kriya seguir as regras. [Com exatidão]

CARTA No. 14:

Depois de sentar-me 12 horas e meia fazendo Kriya, recebi algo incrível. O Senhor me tem mostrado tantas experiências [visões] divinas e maravilhosas. O Senhor já sabe todo o resto. [Ou, tú o sabes tudo].

CARTA No. 15:

O senhor me tem aconselhado a iniciar [buscadores] em Kriya. Faço teu trabalho recordando o senhor e recordando Paramgurudev, tal como me foi aconselhado, e se preparo o buscador [aos que tem rezado pedindo]. Que habilidade eu tenho para realizar este trabalho e iniciar alguém? Por meio da visão divina em que o Senhor se manifesta, eu sei que o Senhor veio neste exato momento e deu a iniciação. Ao dar Kriya, pouco antes meu corpo entrou num estado completamente diferente, e ainda está gravado em minha mente. Quem realmente pode dar Kriya além daquele que faz todo esse Trabalho? O Senhor se move por caminhos misteriosos. Eu não o compreendo. Compreendo só um pouco por meio da intuição. É isto que eu quero que saibas... O darshan [visão beatífica] foi muito bonito e desde então, todos os dias, tem ocorrido muitos darshans, pela tua Graça e tua Misericórdia. O importante é que tudo acontecerá da forma em que o Senhor queira que aconteça. É possível para um simples humano fazer isto?

Resposta de Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya): Já recebi a doação para a Iniciação. Kriya será bom.

CARTA No. 16:

Carta do discípulo:

Quando o Senhor tiver conhecido alguém, do que tem de se preocupar? Eu estava atraído pelo Divino e agora estou preso para sempre – completamente embriagado como o vinho do Supremo.

CARTA No. 17:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

O trabalho que está fazendo para mostrar às pessoas o caminho da salvação, trará bençãos a todas as fases de tua vida. Permaneça inabalável na calma de Kriya e continue em consequencia e tudo ficarpa bem.

CARTA No. 18:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya)

Se desejar, pode dar a iniciação sempre que a pessoa for boa, não seja desonesta e se tudo o mais ela for correta.

CARTA No. 19:

Carta do discípulo:

Faça-me como o Senhor, para que eu possa conhecer-Te. Este servo tem esta esperança.

Resposta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Teu Kriya vai muito bem; tudo o mais está bem.

CARTA No. 20

Carta do discípulo:

O Senhor me disse que já não necessito fazer Yoni Mudrá; que devo fazer 28 segundos de Kriyas e o número completo do Terceiro Kriya. Mas esqueci de perguntar se devia fazer o Chakra Japa de 432 Omkar e a divisão por seis no Kutastha, ou seja, se devo fazer 432 Japas dessa forma.

Resposta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Deve fazer o que surja de forma fácil e sem tensão. Quando vir a tranquilidade, não a pertube fazendo prananyama nem nenhum outro Kriya.

CARTA No. 21:

Carta do discípulo:

Deve ser feito 432 Japas, elevando o prana até o Ajña Chakra, mas por meio do prana no Ajña Chakra e concentrando-se (dharana) nos seis chakras e com a percepção das seis luas – é desta forma que irá subri e depois descer? É desta forma? Mas Baba, pouco depois sinto como se o prana estivesse descendo muito lentamente e muito profundamente por baixo da garganta. Quando estou cheio de intoxicação pelas noites, estou em tal estado que não posso explicar. Alguns dias parece que não posso continuar fazendo pránáyáma depois de fazer 11 ou 12 de noite. No Kriya da Repiração Tranquila, escuto um Som. O Som está ali constantemente na parte de trás da cabeça e muitas vezes experimento a Tranquilidade no ponto onde se une o crânio e o pescoço – a localização do bulbo raquídeo. De vez em quando caio sobre a cma devido à intoxicação.

Resposta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Uma vez que tenha alcançado este estado de Traquilidade, não faça mais Kriya. Tudo o mais está bem.

CARTA No. 22:

Diretiva de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Se existe alguma doença contagiosa, ou peste [uma praga], devem ser feitos 600 pranayamas e 50 Maha Mudrás. Deve incrementar de forma gradual, começando com 100 e adicionando 25 a cada dia. Começa com 12 Maha Mudrás e aumenta 2 todos os dias. Os que praticam regurlamente 200 pranayamas e 20 Maha Mudrás diariamente, devem aumentar de uma vez a quantidade restante. Não se deve comer carne nem pescado.

CARTA No. 23:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya)

Que mais devo fazer? Tomei pessoas pela doença, todo o trbalho é para Ele. Pratica Kriya e segue as regras [disciplina]; não há nada a temer.

CARTA No. 24:

Carta do discípulo:

Tudo no Gurudeva é assombroso. Sua manifestação é interminável. De vez em quando ele se desempenha de uma forma tão engenhosa – quem tem a habilidade de compreender isto?

CARTA No. 25:

Carta do discípulo:

Seguindo suas instruções, canto 12 slokas [estrofes] do Gita todos os dias.

CARTA No. 26:

Carta do discípulo:

O Darshan [visão beatífica] não foi muito bom. Vi somente uma estrela no meio de uma luz.

CARTA No. 27:

Estes dias, para fazer meu trabalho, sento-me às 6 da tarde e quando me levanto são quase 10 da noite. Levanto-me quando o Senhor me desperta ao final da noite. Demoro duas horas para fazer os 250 Primeiros Kriyas. O Segundo, 132 Kriyas, leva em torno de uma hora e vinte ou vinte e cinco minutos. Sobrevém uma enorme intoxicação. Quantos Yoni Mudrás devo fazer?

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Termina de comer antes das nove da noite. Kriya vai bem. Faz também 200 Japas de Om no Yoni Mudrá; incrementa gradualmente. Faz somente o que suportar e sem tensão. Não é necessário forçar. A intoxicação é muito boa. Gradualmente será ainda melhor.

CARTA No. 28:

Carta do discípulo:

Sou uma alma muito miserável, pecadora e iludida, como posso conhecê-Lo? Somente o Senhor me conhece. Para que eu possa conhecê-Lo pela graça de Teus Pés de Lótus, por favor faça com que se desvaneça todo o meu desejo de buscar o prazer e me dá refugio em Teus Pés. Por Tua Graça, realizei em meu coração que, confiando no Senhor de forma inabalável, posso vencer qualquer inimigo; isto foi provado. Rogo ao Senhor que a minha mente pecadora permaneça em Teus Pés para sempre. Eu te falo aberto e francamente. Meu grande desejo é ter o Darshan [visão beatífica] de Teus Pés e cumprir o propósito pelo qual tenho em meus olhos. Mas sem que o senhor o deseje, isto não pode acontecer. Faço 225 Japas cada vez. Faço 12 Maha Mudrás cada vez. Fazer 225 Pránáyámas me leva em torno de uma hora e meia. Por Tua Graça, tudo passará com o Primeiro Kriya.

Resposta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Maha Mudrá, Pránáyáma – faça-os com a língua curvada o tempo inteiro. Tudo ficará bem. Não é necessário escutar ninguém; tão somente prossiga com Kriya.

CARTA No. 29:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Tudo pode acontecer com o Primeiro Kriya. É necessário uma grande devoção. Paravastha [a calmar que se dá como consequência do Kriya] e a intoxicação – tudo está no Primeiro Kriya. Continua com o Kriya. Ninguém deve ocupar-se com coisas pequenas. Sobre o que permanece fixo no Guru, o Guru mantém seu olhar. Se ninguém mantém sua propria atenção [concentração], quem perceberá a atenção do Guru?

CARTA No. 30:

Carta do discípulo:

Por intermédio de Teu infinito Poder meu deu o Terceiro Kriya – e posso dizer, pude fazer 200 Thokkar em uma única respiração ontem. Quão assombroso é o Teu Trabalho! O homem não pode deter sua respiração nem sequer durante um breve período de tempo. Deter a respiração tanto tempo só pode ser por Tua infinita Graça; de outro modo não está dentro da capacidade do homem. Pouco a Pouco o Senhor Se revela a mim. No Paravastha de Paravastha, o Senhor me mostra tanto! – que posso escrever sobre isto? Vejo o Paramgurudev conTigo. Também recebo a Sua Graça.

Resposta do Guru de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Bem.

CARTA No. 31:

Carta do discípulo:

250 Japas me levam quase duas horas. Paravastha e Darshan ocorrem muito**. À tarde, desde as 6:30 até às 9:00, novamente faço o “trabalho” [ou “volto a praticar”]. Não posso comer nada logo após – e além do mais vai contra Seu conselho – posto que meu corpo treme até às 10 da noite. Durmo desde as 11 da noite até às 3 ou 3:30h da manhã; durmo por volta de 4 ou 4 horas e meia.

Resposta do Guru Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Deve dormir por volta de 5 a 6 horas. Come ghee [manteiga clarificada] segundo a tolere; saiba que não é necessário muito. Tudo o mais vai bem.

[**Nota do Tradutor: Em bengali, a frase anterior também pode traduzir-se asim: “Paravastha e Darshan são realmente maravilhosos (ou realmente bons)” a forma coloquial “besh hoy” pode ter ao menos dois significados]

CARTA No. 32:

Carta do discípulo:

Faço as práticas da Repiração Tranqüila.

Resposta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Quero que saiba que minha atenção e meu cuidado estão sempre contigo e sempre estarão.

CARTA No. 33:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Se todo o corpo não chora de todo coração por Ele, ninguém terá força de charmar-Lhe no interior. O Imperecível e Eterno Guru é o exemplo de Seu Amor sem Causa [sem interesse]. Ainda que Ele esteja tão próximo de todos em todos os momentos, ninguém se ocupa Dele. **[Nota do Tradutor: Em bengali, os ponombres usados para Deus, os pronomes em geral, não tem gênero. O tradutor optou pelo uso comum na teologia ocidental, para simplificar]

CARTA No. 34:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Diretiva para a iniciação em Kriya para alguns jovens que sofrem de enfermidades pulmonares: Não lhes dê Yoni Mudrá. Ensina-lhes a fazer Maha Mudrá sem reter a respiração. Diga-lhes que faça bastante Nabhi Kriyas. Os que tenham dificuldade de fazer doze Maha Mudrás, devem fazer somente seis.

CARTA No. 35:

Carta do discípulo:

No dia do Pujá de Sarawasti, fiz Kriya durante 12 horas e meia e recebi algo sem precedentes [ou, “como nunca antes havia experimentado”] O Senhor me ensinou muitas Manifestações Divinas que eram muito belas. O Senhor sabe tudo.

CARTA No. 36:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Aos que desejam receber a iniciação, você mesmo deve dar-lhes a iniciação.

CARTA No. 37

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Continua cantando Gita com grande felicidade; depois receberás Kriya.

CARTA No. 38:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Recebi a carta de tua esposa. Lhe darei a iniciação. Até que receba Kriya, prossiga cantando o Gita e servindo se mutuamente. Quando o esposo estiver feliz, ela receberá o Kriya. O esposo é um guru ** para sua mulher.

**[Nota do Editor: Uma observação à carta de No. 38. As afirmações que Yogiraj faz sobre o marido e a mulher podem ser mal interpretadas pela mente ocidental. As pessoas deve perceber que a Índia é o único País onde se adora de forma legítima o feminino e que existe mai Pujas de deusas do que de deuses. Se surge um tem do chovinismo ou de uma declaração de qualquer tipo de superioridade do homem em considerção à mulher, é somente devido a uma interpretação errada. Realmente, deve-se lembrar a imagem de Kali de pé sobre Shiva. Representa a energia que se manifesta, Shakti, elevando-se sobre o Absoluto. Shiva é Shakti e Shakti é Shiva. Sri Ramkrishna muitas vezes esquecia-se de tudo e adorava sua mulher como a própria deusa. Não existe discrpâncias aqui. Na época dos escritos de Yogiraj, os homens eram utilizados para ter acesso à informação certa que protegia as mulheres. Ninguém deve esquecer tudo isto ao considerar as afirmações como as da carta no. 38.]

CARTA No. 39:

Carta do discípulo:

Não sei como supõem que devo fazer circular 200 Kriyas em minha cabeça de uma só vez em uma respiração; Isto me faz sentir perturbado.

Resposta do Guru:

Faz doze em uma respiração. Incrementa uma a cada día.

CARTA No. 40:

Carta do discípulo:

Quando tudo é o Senhor – quando somos Tu e eu, então todo o que tenho entrego a Teus Santos Pés; mas a ilusão [a ignorância] não me deixa entregar-te tudo. Afasta esta ilusão e toma tudo; Senhor, não necessito de nada. Só necessito de Ti. Meu medo é que minha mente seja fraca.

CARTA No. 41:

Carta do discípulo:

Vieram médicos, homeopatas e foi usado outras medicinas nativas, mas não se pode aliviar a asma. Tua medicina curou este paciente e agora trabalha na oficina.

Resposta do Guru:

Deve-se aplicar o tratamento durante muitos dias. Se você fizer Kriya, então poderá ficar curado completamente.

CARTA No. 42.

Carta do discípulo:

Depois de terminar o Quarto kriya e ainda mais, tenho terminado o trabalho que me pediu para fazer no Kutashtha nos últimos dias. Fixando minha atenção no Kutastha, completo 36 vezes – ou seja, 36 x 12 = 432 Japas desse modo. O Senhor sabe se fiz correto ou não. Antes desse trabalho e durante esse trabalho, Kutastha se revelou bastante. Tudo isto é maravilhoso. Sento-me entre 3 e 3 horas e meia pela noite. Desde as onze até às duas e meia quando termino. Durmo das duas e meia até às cinco. Em 24 horas durmo somente duas horas e meia. Quando se estabiliza o prana no Kutastha, experimento Paravastha [a calma que se produz como consequência da prática de Kriya].

Resposta do Guru:

Bem.

CARTA No. 43:

Desde ante ontem à noite, tenho sentido intoxicação e um tipo de ressonância [“jhamjham”] e muitos tipos de Sons; em pouco tempo sinto que a inalação e a exalação ocorrem fora. O Primeiro Kriya – 250, Segundo Kriya – 50, Yoni – 158, Maha – 25, Terceiro Kriya – 200, Quarto Kriya – 17. A metade do tempo a respiração permanece suspensa. De vez em quando, Pránáyáma continua inclusive suspenso.

Resposta do Guru:

Bem.

CARTA No. 44:

Carta do discípulo:

A pulsação no peito [“dhuk-dhuk”], a pulsação nos nadis [meridianos], o fluxo da respiração, o fluxo da corrente dentro da espinha dorsal vibram em uníssono. Quem sabe pra onde vai a mente? Quando o prana entra no corpo, o prana entra e sai sintonizado ritmicamente com o bindu. Todas as estrelas são atravessadas. De repente experimento isso tudo.

Resposta do Guru:

O Guru te leva [ou, faz tudo]. Tudo está acontecendo da forma correta. Tudo está bem. Saiba que estou sempre contigo na forma de Kutastha.

CARTA No. 45:

O que deve escrever? Não sei o que pode ser deschonecido para o Senhor. Absorto no ego, estou aqui sentado vestido de cabeça. Mas não me dou conta de que a chave desta cabeça que abre a fechadura está de posse do Senhor. Ainda quando permanece sempre comigo, não O vejo inclusive depois de vê-Lo; isto é um mistério que me foi revelado recentemente. O Senhor sabe tudo. Ainda que eu tenha olhos, estou cego; são as minhas faltas.

Resposta do Guru:

O Guru é aquele que é tudo; O Guru é o Misericordioso. Tu és o Guru dentro de ti.

CARTA 46:

Carta do discípulo:

Duas pessoas têm sido maravilhosamente consoladas. O paciente tinha sido desenganado por ilustres médicos e depois, por Tua Graça, foi curado completamente. Ninguém sobrevive a esta doença. Foi o que disseram os médicos.

Resposta do Guru:

Tudo o que acontece está bem.

CARTA No. 47:

Carta de Sri Guru:

Não lamente pela morte importuna. Ninguém pode crer que existam coisas oportunas ou inoportunas [mas] não existe nada inoportuno para o Tempo. Por esta razão a obrigação da vida é recordar a todo instante a Alma como o Tempo. Por isto digo a todo mundo que tenham cuidado e verbalmente lhes aconselho a estarem sempre consciente do Tempo.

Tristemente muitos não necessitam desse conselho.

CARTA No. 48

Carta de Sri Guru:

Neste meu corpo sofri muitas de suas enfermidades. Quando não tem azeite mais na lâmpada é que se alcança o Nirvana. Se a natureza é relutante, quanto tempo pode a vida permanecer no corpo? Não há morte para a Alma [Atma] porque a mesma Alma é o Eterno. O Sempre Presente além do Tempo. O Eterno é como um oceano sem movimento e a natureza do rio da vida converge para este Oceano. Se alguém permanece consciente do Tempo, não há morte. A liberdade está em lutar pelo desencarne.

CARTA No. 49:

Carta de Sri Guru:

O que é Bom permanece. O “Jiva” não sabe o que é Bom; se o soubesse seria “Shiva”; quando não sabemos o que é Bom, pensamos Nele como se fosse mal.

CARTA No. 50:

Carta de Sri Guru:

Se a mente não possui força, então deve sentar-se em um lugar onde a mente possa receber força e praticar Kriya neste lugar.

CARTA No. 51:

Carta de Sri Guru:

Fazer Kriya por medo NÃO é fazer Kriya, e esse Kriya não resgatará ninguém.

CARTA No. 52:

Carta de Sri Guru:

A força do Pranayama declina para o Kriyavan avançado.

CARTA No. 53:

Carta de Sri Guru:

Muitos dos que recebem Kriya avançado pensam que já não tem que fazer muito pranayama. Esta é a causa de quase todos os problemas dos Kriyavans avançados. Devem fazer 600 pranayamas e 50/60 Maha Mudrás; Faz Navi Kriya e o Quarto e o Quinto Kriyas.

CARTA No. 54:

Carta de Sri Guru:

O significado do “Solsticio de Verão”: o yogue circula por pingala nadi e por meio dele se sobe a um carro celestial, por ele é que deixa o seu corpo. Ao não possuir corpo e ser livre, experimenta um novo nascimento – o que significa que no reino dos semideuses pode-se encontrar também o mais alto estado fazendo Kriya.

CARTA No. 55:

Carta de Sri Guru:

1728 Pránáyámas produz expiação – os pecado são eliminados e a Alma se revela.

CARTA No. 56:

Carta de Sri Guru:

Ao morrer e produzir o aplacamento dos planetas são pessoas Boas. Inclusive depois da morte, ninguém pode fazer bem aos outros por meio dos planetas.

CARTA No. 50:

Carta de Sri Guru:

Para alcançar a libertação [moksha] enquanto se ainda está encarnado, necessita-se fazer Kriya sem trégua e de forma exata conforme a disciplina [ou, de forma exata segundo as regras]; só então, pela Graça do Guru, acontece tudo pelo que se mais deseja. Os que dizem “Queremos prazer, comodidade e uma vida longa; não queremos a libertação;” estão cheios de falsidade. Querem bençãos mas não é possível.

CARTA No. 58:

Carta de Sri Guru:

Quando as pessoas estão desesperadas, todos se corrigem e clamam por Deus. Até os rebeldes buscam o refugio em Deus nos momentos de desespero; mas basta fazer seu próprio trabalho e continuam.

CARTA No. 59:

Carta de Sri Guru:

Os mulçumanos devem fazer “Namaj” [oração] quatro vezes por dia; os Brahmanes devem fazer “Sandhya” [adoração] quatro vezes por dia; e os Sheb [cristãos] devem, pelo menos, duas vezes por dia, ajoelharem-se e ler a Bíblia e rezar a Cristo e se fazem isso ficam bem.

CARTA No. 60:

Carta do discípulo:

A forma de liberar-se da luta de “samsara” [roda das encarnações] implica em separar-se do mundo e fazer o trabalho ainda que se mantenha essa [compreensão] íntima. O que há de acontecer acontecerá.

CARTA No. 61:

Carta de Sri Guru:

Prossegue fazendo Kriya; abstém-se de pensar no passado ou no futuro e mantenha a sua mente no Prana [força vital]. Alguém deve supostamente fazer as tarefas mundanas [mas] permanecendo em e confiando em [ou, operando desde] Kriya “Paravastha” [o estado de calma por de trás de Kriya].

CARTA No. 62:

Carta de Sri Guru:

Continua a propaganda de Kriya.

CARTA No. 63:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Neste mundo, tem de se enfrentar muitas provas; o mundo é um local de provas; esta prova também irá passar; isto significa que tem de ser habilidoso e ficar atento por todos os lados e não ter lacuna em nenhuma área. Você também deverá fazer algo que não diminua a sua força interna. Com uma grande habilidade e um grande esforço deve fazer tudo referente às suas obrigações [karmakshetra]. Não tem que temer nada. Satan rodeia todas as facetas da mente. Vigie a Alma e nada mais; faça cuidadosamente. Tal e como te ensinei a fazer Kriya nas cartas anteriores – faça assim. Não há nada mais do que escrever sobre isso.

CARTA No. 64:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Quando fizer calor, faz o Kriya que seja fácil; em outros momentos, segue fazendo a respiração com mantra. Quando vier o frio, incrementa Kriya continuamente.

CARTA No. 65:

Carta do discípulo:

De tarde me sento e faço 108 pranayamas [Primeiro Kriya], 28 Segundos [Kriya] pranayamas, 175 Thokkar Terceiro [Kriya] pranayama, 200 Quartos [Kriya], 200 Quintos [Kriya] e 175 Sextos [Kriya]. [Também faço] 9 Maha Mudrás.

CARTA No. 66:

Carta do discípulo:

Após um ano e meio usando o amuleto, ainda assim não está “apto”** em absoluto.

**[Nota do Tradutor: O discípulo usa a palavra inglesa “fit”.]

Resposta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Que não se beba nenhuma água salvo a água em que seja lavado o amuleto.

CARTA No. 67:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Praticar Kriya É a recitação dos Vedas. Quando, por meio da prática repetida de Kriya se percebe o mais alto estado de Kriya, ISSO é a revelação do Vedanta.* Isto deve ser percebido por meio da prática de Kriya. O que pode acontecer com a leitura dos livros? [*Nota do Tradutor: Na filosofia da Índia, “Veda” refere-se ao conhecimento, e “Vedanta” é o que está mais além do conhecimento.]

CARTA No. 68:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Ninguém é pagão. A mente é a única que é pagã. Deve saber que o Senhor reside em todos os corpos. Mas isto não se deve falar como ninguém. Somente deve sabê-lo dentro de ti.

CARTA No. 69:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Não faça Kriya quando estiver trovejando. Darshan [visão beatífica] não se manifesta sempre da mesma forma. Darshan depende do estado da mente e é necessário ter devoção e reverência. Incrementa o número de Yoni Mudrá pouco a pouco mas não os incremente com tensão. Pode aumentar o número até 200. Não mais que 200.

CARTA No. 70:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Manter a atenção presa nas coisas que nasceram da ignorância e ter apego contínuo a elas faz com que essas coisas voltem uma ou outra vez na mente. Lembre-se sempre que tudo é do Senhor e que nada é meu e permanece no estado de calma [Kriya paravastha] depois de fazer Kriya.

CARTA No. 71:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Por que pensar tanto nas coisas impermanetes? Quem pode substituir o resultado do karma de alguém? Que capacidade você tem para substituí-lo? Tua obrigação é abandonar todos os pensamentos do passado e do fututo e fazer todo teu trabalho no presente e ainda que lembre a vida, de que servirá ser um soldado feito de folhas de palmeira?

CARTA No. 72:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Como é que, havendo se convertido num yogue, teu coração é tão fraco? Ninguém pode remover a sombra da árvore. Ninguém removerá a água do rio.

CARTA No. 73:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Ninguém pode ser feliz por adquirir riquezas e ninguém o será. O desejo de ter riquezas vem da inquietude da mente. Por que pensar tanto no futuro? Tudo isto são só bonecos que dançam. “Oh, dinheiro, dinheiro!!” – o mundo inteiro balbucia estas palavras. Não há nenhum outro hino na Índia.

CARTA No. 74:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Ninguém deve fazer Kriya com este tipo de pensamento na mente – “Não sou nada; nada é meu; um dia todos teremos de deixar tudo e todos. É incerto o dia dessas coisas acontecerem”. As pessoas estão satisfeitas até que esse evento chega repentinamente, então andam de um lugar para outro gemendo com remorsos e lamentos. Por tanto, todos deveriam estar conscientes da chegada desse “evento” com vigilância.

CARTA No. 75:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

A carne e os ossos de Maya [ilusão] se fizeram visíveis; Será muito melhor, quanto mais cedo a pessoa se livre de Maya. Não bem nem mal ali. Seja o que seja que tenha em meu intestinto, isso deve ser entregado ao Guru. Posto que já entregou-Me o seu corpo, quando olhar dentro dele Me verá nesse corpo. Deste modo, Meu corpo é todo o seu corpo. Faça Kriya com reverência e devoção.

CARTA No. 76:

Diretivas de Yogiraj:

... fazendo Japa de forma contínua e da seguinte maneira – chakra por chakra – a mente eventualmente não deixará o caminho dos chakras e não vagueará por nenhum lugar e nos momentos finais de Kriya, o estado DEPOIS do estado de calma através de Kriya [o estado de calma que vem depois de fazer Kriya, ou Kriya Paravastha], o estado no qual espontaneamente não existe nenhum desejo de inspirar nem de expirar – é nesse estado em que deve permanecer a mente. Este estado aqui mencionado é conhecido como Krishna. Esse é o significado da palavra “Krishna”.

Krishna = “Krish” – atraente, e “na” se refere à renuncia. “Krishi” é uma palavra que se refere a terra e “na” se refere à renuncia. “Tayo raikam parabrahma Krishnaviprah”.

Isto significa que o estado em que a inalação e a exalação estão espontaneamente suspensos – esse é o estado que Krishna surge na forma da Respiração Tranquila. Os que praticam este sadhana em segredo [gopan] são os “Gopis”** Este é o significado da palavra “Gopi”. Em “Brindavan”***, que é o próprio corpo, esta “vida” espera incessantemente a aparição de Krishna.

[Notas do Tradutor: ** Na mitologia hindu, as Gopis são as donzelas devotas do Senhor Krishna. As Gopis representam os devotos verdadeiros, plenos do mais alto amor e altruísmo. *** Brindavan – a terra onde as Gopis e Krishna desempenharam os papéis de amantes e Amado.]

Todos não fazem Kriya com Amor e afeto; não pedem a Graça do Guru. Se fizessem segundo as instruções recebidas do Guru, receberiam inclusive sem pedir. Por tanto, permaneça firmes na palavra do Guru e experimentem a Respiração Tranquila conforme as instruções recebidas do Guru. Se crêem na palavra do Guru, então esta se manifestara um dia. Podem estar seguros disto.

CARTA No. 77:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Kriya deve ser feito estritamente segundo as instruções. A prática incorreta do mantra nos diferentes chakras significa que Kriya não está sendo feito segundo as instruções. Isto faz com que Kriya se torne Tamasico [de natureza negativa] e surgem todos os tipos de pensamentos ainda que se pratique Kriya. Isto tem, como consequência, uma mente que divaga em maus pensamentos; a mente não se concentra no Divino.

CARTA No. 78:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

A todos se indica que façam Japa Mantra – chakra por chakra – ainda que façam pranayamas. Tristemente, não se faz assim; a única coisa que estão fazendo é inalação e exalação. Além disso, a única coisa que estão fazendo é permanecerem sentados pensando uma porção de coisas. Não se aconselha a ninguém pensar em mais nada a não ser no Divino durante a prática de Kriya.

CARTA No. 79:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Muitos não praticam Japa Mantra chakra por chakra. Quando isto não se faz, Kriya torna-se tamásico [Kriya com qualidades negativas], e o fruto também se torna tamásico. Portanto, durante o pranayama, deve-se manter a atenção nos seis chakras na espinha dorsal [costas] e fazer japa em cada um deles.

CARTA No. 80:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Dirigindo-se ao interior, enquanto se inspira e se expira, deve-se fazer Japa em cada chakra. Se esse Japa não for feito nos exercícios de Kriya o que se faz é tamasico. Fazer 12 pranayamas da forma indicada equivale a um “pratyahara”. Da mesma forma, 144 pranayamas feitos equivalem a um “dharana”.

CARTA No. 81:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Para muitos, em duas horas de pranayama, nem sequer fazem dois prananyamas corretos. “Mantraheenam adakshinam. Tat tamasam udahritam.” “Dakshina” = Permaneca fixo no estado de calma que vem depois do Kriya. Muitos nem sequer prestam atenção a isto. Esses, quando vão revisar a iniciação e de vez em quando a instrução, causam todo o tipo de problema. Ao invés de fazer 5 horas de pranayamas, tenta, se puder, fazer duas corretamente. Todos devem tentar praticar da forma correta.

CARTA No. 82:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Se Kriya for praticado conforme as regras [instruções] tudo ficará bem e virá a paz.

CARTA No. 83:

Carta de Sri Guru (Lahiri Mahasaya):

Divulga a medicina; a primeira medicina é Kriya. Na divulgação de Kriya a mente se sente compassiva e também se recebe a Graça Divina. Quando isto ocorre, alcança-se o objetivo. Faz o ainda falta para fazer 600 pranayamas de forma exata conforme as instruções em dois períodos durante o dia.

CARTA No. 84:

Carta de Sri Guru:

Dar Kriya É dar sátvico.

CARTA No. 85:

Carta do discípulo:

Como e quando mostra a alguém, só o Senhor o sabe. Se o Senhor não tem uma pessoa em Seu coração, é impossível que experimente Teu Amor. Às vezes o Senhor eleva alguém por seu Karma e às vezes a solta pelos seus desperdícios. Suponho que faz isto pelo Karma resultanto do discípulo; Onde está a culpa do discípulo nisto tudo? O Senhor que está dentro dele e sabe tudo.

CARTA No. 86:

Carta do discípulo:

Nestes pântanos infernais, o Senhor não estava alí? É o Senhor que está dentro e que tudo sabe. Inclusive neste momento, o Senhor sabe o que sinto por Ti. Tem misericordia, Baba, não me deixe cair [não me solte] depois de elevar-me. A forma pela qual me deixa é muito dolorasa. Ajuda-me a fazer muitos Kriyas. Destrói meu desejos e minha luxuria. Ensina-me que como devo proceder. Não tenho comido nem carne e nem pescado.

CARTA No. 87:

Carta do discípulo:

Depois de tomar banho, uma hora [e] depois das 23:00h, durante uma hora, pratiquei Kriya durante essas duas horas. Recito todos os dias com regularidade o Gita e as Escrituras que o Senhor me deu. Compreendo que eles irão receber Kriya mais tarde.

Resposta do Guru: Mantém a disciplina de sentar-se em ásana ao amanhecer e até o entardecer. “Panhchagavya[os cinco produtos que vem da vaca – coalhada, leite, manteiga ghee, e urina e o esterco] e “Panchamrita[as cinco coisas comestíveis e doces – coalhada, leite, manteiga ghee, açúcar e mel] devem ser usadas.

CARTA No. 88:

Carta de Sri Guru:

Deve-se praticar Kriya conforme as regras, não fora delas. “Yah shastravidhimutstrijya vartatekamacharath. Na sa siddhimavapnoti na sukkam na paraam gatim.” Em outras palavras, o que constitue Yajna [kriya**] conforme as regras, faz em abundância. Com suavidade, conforme as regras e segundo as instruções sobre o trabalho, de outro modo as coisas sairão do lugar. [**Nota do Tradutor: A explicação entre parênteses está na carta de Yogiraj.]

CARTA No. 89:

Carta de Sri Guru:

Segue fazendo Kriya; tenta manter sua atenção na respiração junto com o mantra. Faz 24 Maha Mudras duas vezes por dia e isto lhe trará equilíbrio no ar.

CARTA No. 90:

Carta do discípulo:

Estou tão submerso em Maya de Samsara que permaneço ignorante Daquele que é o Piloto da vida desta ilusão e a fonte de todas as riquezas. Esta insignificante vida está cheia de felicidade e não me falta nada. Por meio de Tua compaixão o estado que produziu-se em mim fez com que este miserável realizasse muitas coisas muito poderosas neste corpo de pecados.

CARTA No. 91:

Carta do discípulo:

144 do Primeiro [Kriya], 144 do Segundo [Kriya], 144 do Terceiro [Kriya], 288 do trabalho de meditação, estando dentro do qual [fiz] 336 do Quinto [Kriya] e na Tranquilidade [fiz] 12 x 14 do Sexto [Kriya] – com mantra; depois no Sétimo [Kriya] fiz tudo conforme os conselhos de Dukori Dada [o irmão maior Dukori]

CARTA No. 92:

Carta do discípulo:

O Senhor é onisciente e está presente em tudo o que acontece. Os veneráveis Dukori Dada e Bhattacharya Mahasaya me tomaram no colo e deu a este servo Todo o Conhecimento, e por Tua Graça posso conhecer-Te. Dukori Dada me mostrou a Tranquilidade depois do décimo-primeiro Kriya e o movimento [ali dentro]. Através de Kriya Paravastha [o estado de calma que segua a prática de Kriya], vi que vocês três – e muitos outros grandes sábios – estão movimentando tudo no Kutastha e estão me esninando tudo. O que posso escrever numa carta? O Senhor movimenta-o sempre. Que necessidade tenho de provar em uma carta depois de haver realmente visto e percebido? **[ Nota do Tradutor: O texto entre parênteses neste caso está na edição publicada desta carta.]

CARTA No. 93:

Carta de Sri Guru:

Durante a gravidez faz Kriya mental. Não trabalhe com a respiração.

CARTA No. 94:

Carta de Sri Guru:

Engula a saliva da boca. Existe um adesivo em cima dos orifícios do nariz e mais além desse lugar [epiglote] é que você se dirigirá [a língua] – gradualmente. Não force; se você forçar poderá se ferir. Faça esse trabalho depois do Kriya avançado. [**Nota do Editor: Estas são instruções avançadas sobre Kechari Mudrá]

CARTA No. 95:

Carta de Sri Guru:

Por que está tão ansioso em ver-Me: Que ganharás por ver-Me em carne e osso? Mantém tua atenção no Kutastha; Essa é a Minha forma. Não sou esta carne nem estes ossos, nem sou esta palavra “Eu”; Eu sou o servo de todos.

CARTA No. 93:

Carta de Sri Guru:

As pessoas devem permanecer especialmente atentas para que não se comentam erros com o mantra – chakra por chakra, durante o pranayama. Se a mente não pensa em outras coisas durante o Kriya e não se comentem erros no mantra – chakra por chakra, então a paz se estabelecerá na mente.

CARTA No. 97:

Carta do discípulo:

Terminei o Sexto Kriya. É o Senhor que está dentro; Tu sabes. Só como arroz cozido e ghee [manteiga clarificada] durante o dia e só fruta à noite.

Resposta do Guru:

Tudo está bem.

CARTA No. 98:

Carta do discípulo:

Sabendo que não se deve fazer Kriya durante a gravidez, por favor, dá-nos as bençãos de Teus Pés de Lótus.

Resposta do Guru:

Neste momento, Kriya deve ser interrompido. Três meses depois que nasça a criança, e quando o corpo está recuperado e ativo, então faça Kriya. Faça somente Navi Kriya, e se isto for cansativo, não faça sequer isto. Simplesmente mantenha a atenção no ponto que está entre as sobrancelhas com a flamejante forma no Kutastha – mantém aí a tua mente. Ao invés de Yoni Mudrá, faça isto. Simplesmente ponha a tua atenção e concentra-te aí.

CARTA No. 99:

Carta de um discípulo avançado:

Ontem à noite, outorgou-me a Tua Graça a este insignificante miserável durante seu sonho e veio e me falou muitas coisas. Ainda que não o tenha compreendido de todo, entendi bastante... (a)... O Senhor meu deu um grande Darshan [visão beatífica]. O Senhor me dirá o que tem de ser feito agora. Depois de purificar seu corpo, se deu Kriya. Enviei cinco rúpias por sua inicação; irá recebê-las. (b)

Resposta de Sri Guru:

(a) Bem. (b) Eu recebi.

CARTA No. 100:

Carta do discípulo:

Depois de fazer 250 pranayamas do Primeiro Kriya, [fiz] 105 de Yoni Mudrá Japa; depois [fiz] 50 do Segundo Kriya e 12 Maha Mudrás, depois fiz o Terceiro Kriya – ontem foram feitos 154 Thokkar foram feitos. Ontem o Paravastha do Primeiro Kriya foi maravilhoso. Yoni Mudrá provocou tensão. Tentei acelerar Yoni Mudrá e isto provou a tensão.

Resposta de Sri Guru:

Faça o que der para fazer com facilidade. Não há necessidade de preciptar-se. Não alcançará a meta adequada se te precipitar.

CARTA No. 101:

Autor – Sri Neelmadhav Sarkar:

[Quatro cartas do manuscrito principal da coleção de cartas de Neelmadhav] Namah Sriguruveh namar Guroh Kripahi Kevalam anseio ser absorvido nos Pés de Lótus – Sri Neelmadhav Sarkar.

Carta desse discípulo: Por favor, dá-me uma de Tuas novas “Samkhya Darshan” que acabaram de ser imprimidas. Vou enviar um sello de 10 annas.

Resposta de Sri Guru: “Manu” e “Samkhya” foram enviados. O preço de “Manu” é de 50; “Samkhya” não tem preço.

CARTA No. 102:

Carta desse discípulo:

Consegui uma licença de 2 meses somente para poder fazer kriya e para curar-me da doença. Como posso fazer 1700 (1728)** Kriyas? Posso comer? Ou devo beber somente água? Ninguém aqui já se sentou assim para fazer Kriya. ** [Nota do Tradutor: O texto entre parênteses faz parte da carta].

Resposta de Sri Guru: Faz Kriya em um ásana. Se sentir sede, beb ghee e água sem deixar o ásana. Pode trocar as pernas no ásana.

CARTA No. 103:

Carta desse discípulo:

Quando o corpo não está bem, inclusive se faço muitos Kriyas já não consigo fazer 200 Yoni Mudrás. E alguns dias 200 ocorrem com apenas uns poucos Kriyas. Como devo fazer isto diariamente e quanto demorara para este corpo curar-se da enfermidade?

Reposta de Sri Guru: Faz a metade de Maha Mudrá. Manda um selo de 4 annas pelo custo de enviar os 300 prontuários. Também a fórmula de óleo de coco nas folhas de nim e “nisinda” – consiga de Ramrup Bhattacharya e faça massagens com ela pelo corpo todo exceto na cabeça. Se não pode obtê-la, manda 2,50 rupias e escreve para o que é no talão.

CARTA No. 104:

Carta desse discípulo:

Se o corpo não permanece, não chegarei a Deus. Ensina-me alguma técnica para que os meus intestinos e minha urina fiquem totalmente limpos. Ainda não estou bem. O tubo do meu pênis está flácido, minha urina sai aos montes e não evacuo totalmente. Apesar das muitas técnicas que tenho experimentado, não me sinto capaz de solucionar o problema.

Carta de Sri Guru: Use esse azeite.

CARTA No. 105:

Carta desse discípulo:

“Meu irmão mais velho tem sofrido espasmos.”

Resposta de Sri Guru:

“Esse Azeite” [Nota do Editor: ele quis dizer, “usa o mesmo azeite”.]

CARTA No. 106:

Carta desse discípulo:

De que forma posso viver para que minha saúde seja boa e permita que yoga seja bom para mim? Seria bom que eu tivesse um manual para isto.

Resposta de Sri Guru: No momento, não existe manual.

CARTA No. 107:

Carta desse discípulo:

Entre todos os Teus Kriyanavans, eu sou o mais insignificante e estúpido. Senhor, tem misericordia de mim.

Testemunha: Sri Neelmadhav Sarkar (Carteiro Principal)

Testemunha que contesta: Sri Shyamacharan Devasharmanah

(COPY)

Class 9, Local No. 143. To Beneras City,

From Hatkola (Calcutá)

To Babu Shyama Charan Lahiri Garureswar.

Bangalitola, Beneras.

Form Ram Sundar Chakraharty.

5/4/38. (1838)

“State Worst. Complaints all aggravated, Excessive paio

in chest. Night Sweat, Copious blood in every Spittle.

Prostrate Harital or what remedy advisable. Reply prepaid.

One Rupee.”

Prescription found noted on the back of original Telegram –

“Seven drops Nim Oil Hourly, last apang root.”

CARTA No. 108:

“Aquele que alcançou um estado de calma no qual suas pálpebras não pestanejam, alcançou Sambhabi Mudrá.”

(assinado):

“Sri Shyama Charan Deva Sharman.”


Retirado do site:
http://yogaestudoscomplementares.blogspot.com/search/label/Lahiri%20Mahasaya

Um comentário:

  1. Ricardo, não é necessário publicar esta nota. A escola de Swami Satyananda irá publicar o livro Kundalini tantra em português. Ela entrou em contato comigo e pediu para retirar da internet a tradução que fiz. Seria legal que você também retirasse do seu site.
    Quando for citar traduções minhas do meu blog, por favor, não cite o meu nome nessas traduções. Meu trabalho é totalmente anônimo e gostaria que continuasse assim.
    Grata por sua atenção.

    ResponderExcluir